A nova cédula de R$200,00 reais e os elementos de segurança

A nova cédula de R$200,00 reais e os elementos de segurança
Networking Social

Entenda as razões do lançamento da nova moeda
Veja como identificar as notas verdadeiras

Desde o início da pandemia do Covid-19, é possível observar um aumento do uso de dinheiro em espécie. Em momentos de incerteza como é o caso de uma pandemia, dinheiro simboliza segurança. Pessoas e empresas fizeram saques para constituir reserva.

No final de março, a quantidade de dinheiro em circulação era de aproximadamente R$ 260 bilhões. A partir daquele momento, esse montante começou a subir rapidamente e em 17 de agosto alcançou R$ 350 bilhões.

Como não é possível mensurar por quanto tempo os efeitos da pandemia vão persistir e considerando que o dinheiro em espécie ainda é a base das transações em nosso país, o BC entende que o momento é oportuno para lançamento de projeto de cédula pré-existente. É o BC agindo preventivamente para um possível novo aumento da demanda de numerário pela população.

Com a pandemia aconteceu o Entesouramento

O verbo entesourar é derivado do termo tesouro, que significa uma acumulação de coisas valiosas, como dinheiro ou joias. A expressão pode ser associada ao que popularmente conhecemos como “guardar dinheiro debaixo do colchão”.

Esse fenômeno foi observado não só pelo Banco Central brasileiro, mas também em outros bancos centrais pelo mundo.

Veja quais são as possíveis causas de entesouramento:

Saques para formação de reservas – por pessoas e empresas;

Diminuição no volume de compras no comércio em geral com o início do período de isolamento social;

Valores pagos em espécie aos beneficiários dos auxílios não retornaram com a velocidade esperada.

Estamos com a volta da Inflação?

Não há relação mecânica entre o aumento da quantidade de papel moeda em circulação e inflação. A inflação não está subindo no Brasil e o Banco Central está atento para evitar que isso ocorra, mantendo a inflação baixa, estável e previsível. O Brasil é um país que utiliza o sistema de metas para o controle da inflação. Assim, a atuação do Banco Central busca assegurar que a inflação esteja na meta.

A decisão do Banco Central de lançar a cédula de R$ 200,00 é tão somente uma ação de precaução para o caso de a população demandar ainda mais dinheiro em espécie. É papel do BC está atento à demanda da população por papel moeda e atender. desde que a pandemia do Covid-19 começou. Em tempos de incerteza como é o caso de uma pandemia, dinheiro significa segurança.

A impressão das novas cédulas terá impacto na base monetária do país?

A base monetária vem aumentando desde abril, tanto as reservas bancárias quanto, principalmente, o papel moeda emitido. Isso porque há, neste momento, uma demanda da população por papel moeda em espécie. A tarefa do Banco Central é estar atento e, se necessário, atender essa demanda maior por meio circulante. Portanto, é esperado, nesse curto prazo, um aumento da quantidade de papel moeda em circulação, devendo haver posteriormente um ajuste gradual na medida em que esses valores retornem à custódia do BC.

É uma boa ideia lançar uma nova cédula em um momento em que as transações por meios digitais estão crescendo?

O lançamento das novas cédulas não concorre com as transações por meios digitais.

O Banco Central (BC) observou o aumento da demanda por dinheiro em espécie e é papel do BC atendê-la e estar preparado para o caso dessa demanda aumentar no curto prazo.

Intensificar o uso dos meios de pagamentos digitais por parte da população faz parte da agenda estratégica do BC e a Instituição trabalha para fomentá-la.

Colocar uma cédula de 200 reais não trará problemas de falta de troco?Há células suficientes das outras denominações para troco?

Um dos maiores desafios da área técnica de meio circulante do BC é buscar o melhor equilíbrio entre as quantidades de denominações das cédulas.

O BC faz monitoramento diário das necessidades de troco com a ajuda de toda a rede bancária e trabalha de forma diligente para atendê-las. A entrada em circulação de qualquer nova denominação requer que o monitoramento em questão seja naturalmente intensificado.

A nova denominação entrará em circulação de forma gradual, conforme se observa demanda adicional da população por numerário.

Do montante total de cédulas que se encontram em circulação: 18% são cédulas de R$2, 8% são cédulas de R$5, 9% cédulas de R$10, 12% cédulas de R$20, 32% cédulas de 50 e 21% são cédulas de R$100,00

Uma cédula desse valor não fará aumentar as falsificações?
As falsificações da cédula de 100 reais aumentaram?

Não. A quantidade de cédulas falsas retida pelo Banco Central no ano 2019 apresentou redução de 12% em relação ao ano 2018. A nova cédula é segura e contém elementos de segurança capazes de protegê-la das tentativas de falsificação. No entanto, para se proteger do recebimento de tentativas de simulação da cédula, todo cidadão, ao receber uma cédula, deve conferir os itens de segurança, que serão apresentados no site do Banco e na divulgação por ocasião do lançamento.

O valor de face 200 reais facilitará a lavagem de dinheiro?

O país possui um arcabouço normativo moderno para combate/prevenção à lavagem de dinheiro, alinhado às melhores práticas internacionais (GAFI, ENCCLA) e que independe do valor de denominação das cédulas.

Nos fóruns internacionais sobre prevenção/combate à lavagem de dinheiro em que o BC participa, o foco está em aumentar controles no uso do dinheiro em espécie. Dificulta-se assim o crime sem afetar negativamente quem quer fazer uso do dinheiro de forma lícita. Nesse sentido, a partir de 01/10, a circular 3978/2020 (artigos 33 e 37), teremos controles ainda mais rígidos para utilização de valor em espécie acima de 2 mil reais. Valores acima de 50 mil reais, depositantes precisam informar origem, os sacadores a finalidade.

Precisamos atender a demanda da população por numerário e combater o crime a um só tempo. Para tanto, o BC demanda que o sistema financeiro combata o crime. Em 2019, as instituições reguladas pelo BC encaminharam ao Coaf 3,39 milhões de comunicações de operações e situações suspeitas, com possíveis irregularidades. 91% do total de comunicações recebidas pelo Coaf em 2019.

A nova cédula terá o valor aproximado de US$ 39, que não entendemos ser elevado, considerando o padrão internacional.

Qual o formato da nova cédula de 200 reais?

O formato será igual ao da cédula de 20 reais da 2ª família (14,2cm x 6,5cm).

Por que o Banco Central adotou o mesmo tamanho da cédula de 20 Reais?

O Banco Central se deparou com o desafio de colocar em circulação maior volume financeiro de cédulas em curto espaço de tempo. Para produzir a nova cédula em formato maior, com a adequada combinação de elementos de segurança, seria necessária adaptação do parque fabril, o que não era viável no tempo disponível.

Como a nova cédula possui um formato cédula já existente, sua adaptação aos caixas eletrônicos e demais equipamentos automáticos que aceitam e dispensam cédulas será mais rápida.

Por que o Banco não fez uma cédula com o mesmo tamanho da cédula de 100 reais?

A utilização do formato da cédula de 100 reais não permitiria a inclusão dos elementos de segurança escolhidos sem a adaptação de equipamento e investimentos na Casa da Moeda. Também se evitou que a nova cédula tivesse que ser produzida na mesma linha da cédula de 100 reais, o que implicaria interrupção na produção desta denominação.

Como será feito o reconhecimento da nova cédula pelos deficientes visuais?

Com relação à diferenciação das denominações da Segunda Família do Real por pessoas com deficiência visual, haverá marca tátil própria, que são barras em alto-relevo localizadas no canto inferior direito da frente da nota de 200 reais. Para facilitar a identificação das denominações por pessoas com visão subnormal, serão utilizados os numerais de tamanho grande e as cores predominantes diferenciadas.

Lógica utilizada nas marcas táteis nas cédulas da Segunda Família:

Denominação Marca Tátil

2 reais    O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 002-reais-uma-barra-inclinada-1.jpguma barra inclinada
5 reaisO atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 005-reais-uma-barra-horizontal.jpguma barra horizontal
10 reaisO atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 010-reais-duas-barras-verticais.jpgduas barras verticais
20 reaisO atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 020-reais-duas-barras-inclinadas.jpgduas barras inclinadas
50 reaisO atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 050-reais-duas-barras-horizontais.jpgduas barras horizontais
100 reaisO atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 100-reais-tres-barras-verticais.jpgtrês barras verticais

A nova nota de 200 reais segue o padrão estabelecido.

200 reaisO atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 200-reais-tres-barras-inclinadas.jpgtrês barras inclinadas

Por que foram mantidos a figura da República e o animal?

Como esta cédula de R$200 também faz parte da Segunda Família do Real, foi mantido o mesmo tema, ou seja, a efígie da República no anverso e um animal da fauna brasileira no reverso (lobo-guará).

Por que o animal da cédula é o lobo-guará?

Em 2001 foi realizada pesquisa para escolha de espécimes da fauna para novas denominações inseridas no padrão Real. Os dois animais mais votados – tartaruga marinha e mico-leão-dourado – foram utilizados, respectivamente, nas cédulas de 2 reais e de 20 reais e o terceiro – lobo-guará – será estampado na nova cédula.

Quem fez o projeto/design da nova cédula?

O projeto de todas as cédulas da Segunda Família do Real, incluindo esta nova cédula de 200 reais, foi desenvolvido pelo Banco Central em conjunto com a Casa da Moeda do Brasil.

Quais são os principais itens de segurança da nova cédula?

Nesta cédula optou-se pela manutenção de elementos de segurança já existentes nas cédulas da segunda família do real, que são conhecidos pela população:

o Número que Muda de Cor, que muda do azul para o verde, com uma faixa brilhante parecendo rolar para cima e para baixo, ao se movimentar a nota;

a Marca-d’Água, que apresenta o valor da nota e a imagem do animal;

o Número Escondido, que aparece quando a nota é colocada na posição horizontal, na altura dos olhos; e

o Alto-Relevo, em diversas áreas na frente e no verso da nota.

Esses são os principais itens de segurança para a população utilizar no dia a dia. Os elementos estão detalhados no site do Banco Central.

O que a população deve fazer ao suspeitar que uma cédula pode ser falsa?

Após conferir os principais itens de segurança e, se possível, comparar a nota com outras de mesmo desenho, se ainda persistir suspeita quanto à sua autenticidade, você deve recusá-la. Se você já tiver recebido, sem perceber, uma nota suspeita, evite problemas. Não a passe adiante. A falsificação é crime previsto no artigo 289 do Código Penal. Encaminhe a nota para exame na rede bancária, solicitando o recibo de retenção.

Qual a quantidade de cédulas de 200 reais que será impressa este ano?

450 milhões de cédulas.

As demais cédulas continuam válidas?

Inclusive as da Primeira Família do Real e a nota antiga de 1 real? 
Alguma nota vai ser retirada de circulação?

Todas as notas hoje em circulação continuam válidas e podem ser usadas normalmente, inclusive as da primeira família do Real, cuja quantidade remanescente em circulação é pequena (6,7%, em 13/8/2020).

Deixe uma resposta