Após o coronavírus, os funcionários dos escritórios podem enfrentar ameaças inesperadas à saúde.

Após o coronavírus, os funcionários do escritório podem enfrentar ameaças inesperadas à saúde.
Networking Social

Sistemas de encanamento estagnados em edifícios comerciais vazios podem colocar os funcionários que retornam em risco de doenças dos legionários e outras.

Quando você finalmente volta ao trabalho após o bloqueio, o coronavírus pode não ser a única doença com a qual você precisa se preocupar em encontrar no escritório.

Prédios de escritórios cheios de funcionários esvaziados em muitas cidades e estados, e ou, quando foram usados como abrigo no local.

Ou mesmo quando essas estruturas, normalmente em uso constante, foram apenas e fechadas, os riscos para a saúde podem ter se acumulando de maneiras invisíveis.

“Os prédios normalmente não são projetados para ficarem sozinhos por meses”, como ocorre agora em agora em razão do Covid-19, conforme diz o professor de engenharia civil, ambiental e ecológica da Universidade de Purdue.

Outros pesquisadores e autoridades de saúde pública emitiram avisos sobre o encanamento desses edifícios, onde a água pode ter ficado estagnada nos canos ou mesmo em torneiras e banheiros individuais.

À medida que os bloqueios são suspensos, as bactérias que se acumulam internamente podem causar problemas de saúde aos trabalhadores que retornam se o problema não for tratado adequadamente pelos gerentes das instalações. Funcionários e convidados em hotéis, academias e outros tipos de edifícios também podem estar em risco.

A maior preocupação é Legionella pneumophila. A bactéria pode causar a doença dos legionários, uma condição respiratória. Isso leva à morte em cerca de um em cada dez casos, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças . As Academias Nacionais de Ciência, Engenharia e Medicina estimam que mais de 20% dos trabalhadores sofrem da doença a cada ano.

A literatura nos dá um exemplo clássico, único pequeno surto pode adoecer muitas pessoas. Durante a crise da água que começou em Flint, Michigan, em 2014, depois que a cidade mudou sua fonte de água e as autoridades falharam em informar o público sobre problemas de qualidade da água, muitas pessoas ficaram doentes. A crise estava ligada à morte de 12 pessoas pela doença dos legionários.

Outro fato após um surto na North Carolina Mountain State Fair, em setembro passado, 135 pessoas contraíram a doença e quatro morreram , segundo o departamento de saúde e serviços humanos do estado. Os investigadores culparam a exibição de uma banheira de hidromassagem que enviou Legionella pelo ar e foi inalada pelos transeuntes.

Mais preocupante, a doença dos legionários tende a afetar pessoas com sistemas imunológicos comprometidos.

“Os pacientes recuperados e os suspeitos podem estar mais vulneráveis ​​a isso, portanto, quando voltarem ao trabalho, a observação deve ser elevada em alto grau com outra infecção”, baseado em estudo, conduziu e aceito para publicação na revista AWWA Water Science, examinando os riscos da estagnação da água durante o bloqueio do coronavírus.

Uma vez formada no encanamento de um edifício, a Legionella pode ser dispersada pelo ar quando os banheiros são lavados. Mesmo abrir as torneiras, enquanto os funcionários lavam as mãos para limitar a propagação do coronavírus, pode enviar gotas de água para o ar que transporta Legionella.

Normalmente, os gerentes de instalações reduzem o risco de Legionella e outras bactérias ao despejar pequenas quantidades de desinfetante nos sistemas de água de um edifício. Mas quando a água fica estagnada por muito tempo, o desinfetante desaparece.

“Mesmo após um fim de semana, o desinfetante pode desaparecer em alguns prédios e a água é vulnerável à contaminação”, segundo estudos.

Legionella pneumophila, a bactéria que causa a doença dos legionários

Os funcionários das instalações também podem liberar água velha e trazer um suprimento novo e fresco. Ou eles podem enviar uma alta dose de desinfetante através do edifício e aumentar a temperatura para matar os micróbios.

As paralisações começaram em meados de março, o que significa que alguns edifícios já estão fechados há dois meses. E os pesquisadores dizem que as consequências da estagnação da água a longo prazo são relativamente desconhecidas.

“Realmente não realizamos estudos sobre estagnação que dura meses”. “O sistema ecológico pode mudar. Então, enquanto observamos esses organismos, talvez outros organismos apareçam. ”

Os administradores de edifícios comerciais e industriais, devem estar com todas as equipes comprometidas e esclarecidas, com os importantes cuidados ao retorno, e antecipação antes do retorno efetivo das atividades normais, a manutenção de star dos sistemas, hidráulico e de ar condicionados, são procedimentos fundamentais a saúde de todos, nas empresas.

Deixe uma resposta