Joice Hasselmann orientou seus assessores parlamentares a criarem CPFs para criarem perfis

Joice Hasselmann orientou seus assessores parlamentares a criarem CFFs para criarem perfis fakes nas redes,segundo vídeo apresentado.
Networking Social

Carla Zambelli e Bia Kicis querem representação contra Deputada do PSL que orientava assessores parlamentares a atacar adversários

As deputadas federais Carla Zambelli (PSL-SP), Bia Kicis (PSL-DF) e mais um grupo de parlamentares ligados ao presidente Jair Bolsonaro afirmaram nesta sexta-feira (5) que vão ingressar com uma representação contra a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) na PGR (Procuradoria-Geral da República). A denúncia em questão envolve a possível criação de CPFs para habilitar falsos na internet, como mostrou o Jornal da Record e a CNN

Para driblar as barreiras de segurança nas redes sociais, Joice teria usado um aplicativo ilegal para gerar CPFs, o que permitiu a habilitação de chips de celular para cadastrar os perfis fakes.

Carla Zambelli defendeu a investigação e a cassação do mandato parlamentar de Joice e diz que a deputada pode estar ligada a hackers especializados em “assassinatos de reputação”.

Em abril, o R7 divulgou um áudio que indicava a utilização de perfis falsos nas redes sociais. “Acabei de chegar em São Paulo, cheguei há pouco para algumas entrevistas, mas podia falar com a turma aí para fazer vários perfis e entrar de sola no Twitter especialmente, Instagram, porque eles estão botando todas as milícias lá e os robôs em cima de mim”, afirmava a gravação.

Na ocasião, ela disse que “não há qualquer fato ilegal ou imoral” na gravação. “O áudio mostra uma solicitação legítima para que meus apoiadores criem perfis para ajudar a me defender dos ataques da milícia digital que habita no governo. Além disso, solicitei sim a criação de perfis oficiais para esclarecer as fakes que me atacam”, disse Joice.

Agora, novas denúncias apontam que a deputada integrante da CPMI das fake news obrigava assessores a criar perfis falsos para atacar adversários e defender Joice. Em um dos áudios coletados, ela orienta ataques conta Bia Bia Kicis (PSL-DF), uma das autoras da representação na PGR.

O grande absurdo, Joice usou seis assessores parlamentares para disseminar fake news e fez com que todos assinassem um termo de responsabilidade, (como é que é??? termo de responsabilidade, ela vai acionar o sindicato dos corruptos).

Os funcionários foram coagidos, em razão da necessidade do trabalho importante, para uma deputada federal.

Em uma das mensagens enviadas ao grupo em um aplicativo de mensagens, ela cobra o uso de todos os perfis para impulsionar a candidatura dela à prefeitura de São Paulo.

“A gente precisa criar uma hashtag “Beatriz, a sórdida”. Vou para o ataque vagabunda. #biasórdida, #biasórdida, #biakicissórdida, alguma coisa assim”, solicitou Joice na mensagem. O gabinete da deputada ainda criava memes contra adversários e pedia que os assessores “trabalhassem o dia todo”.

“Teve uma época que ela pediu para que cada funcionário, criasse pelo menos 5 perfis em cada rede social”, disse um dos funcionários em vídeos publicado na TV.

#Hashtag que estão em alta nas redes sociais depois das reportagens

#hashtag usadas nas principais mídias sociais

As hashtag – Tags são palavras-chave ou termos associados a uma informação, tópico ou discussão que se deseja indexar de forma explícita no aplicativo Twitter, e também adicionado ao Facebook, Google+, Youtube e Instagram. Hashtags são compostas pela palavra-chave do assunto antecedida pelo símbolo cerquilha. (#)

Vídeos das reportagens na TV Record e CNN

Deixe uma resposta