Prefeito Edinho, acompanhado do Ministro Rogério Marinho, na entrega da ETE, a estação de tratamento para prover 95% do tratamento efluentes de São José do Rio Preto SP

Prefeito Edinho, acompanhado do Ministro Rogério Marinho, na entrega da ETE
Networking Social

Além de acompanhar a entrega da ampliação da ETE, que passa a ter capacidade para atender 600 mil habitantes, Rogério Marinho participou da apresentação do projeto rio Grande e do anúncio da construção de 565 casas populares, São José do Rio Preto, SP, está conectado intensamente com os projetos de Bolsonaro de prover o melhor para o Brasil, e o saneamento básico aqui é 95%.

Mas para manter não se pode parar, uma vez que é melhor anda na frente, que corrigir problemas, pois quando eles acontecem, é impossível manter o melhor padrão de vida da sociedade, principalmente no quesito saúde.

Nesta sexta-feira (07/08/20), o prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo, acompanhado do ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, fez a entrega das obras de ampliação e construção do 4º módulo da ETE – Estação de Tratamento de Esgoto. Um novo reator anaeróbico, um tanque de aeração e um decantador foram construídos no local. As unidades totalizam 28,7 milhões de litros.

ETE – São José do Rio Preto SP

Com a ampliação, a capacidade de tratamento aumentou 35%, saltando de 1.005 l/s para 1.350 l/s, o suficiente para o atendimento de uma população de até 600 mil habitantes, prevista para o triênio 2028-2030. A remoção de carga orgânica é de 95%.

“Graças a essas parcerias com o governo federal, a autarquia municipal abastece a cidade com 100% de água potável e tem 98% do seu esgoto tratado. Portanto, São José do Rio Preto está contribuindo para a despoluição e para o desenvolvimento sustentável para com o meio ambiente. O momento é de agradecer a visita e a contribuição com a nossa prefeitura”, destacou Edinho Araújo.

A ampliação da ETE custou R$ 33.886.353,92. Desse total, R$ 27.132.939,26 são provenientes do OGU – Orçamento Geral da União, via Caixa Econômica Federal, e R$ 6.753.414,66 são a contrapartida do SeMAE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto. Poucas são as cidades como Rio Preto que captam e tratam 99% de todo o esgoto produzido pela população.

Uma comitiva que acompanhava o ministro conheceu toda a estrutura da ETE, através de um tour pela Estação, junto com o prefeito Edinho Araújo e o superintendente do Semae, Nicanor Batista.

“É evidente que o que acontece em Rio Preto não acontece no Brasil como um todo, mas é algo que gostaríamos de usar como exemplo para todo o nosso País. Esgoto tratado de forma adequada, oferecendo um serviço de qualidade para toda a população. Investir em saneamento básico é diminuir custos com saúde, reduzindo a mortalidade infantil e o índice de doenças crônicas, aumentando assim a qualidade de vida de todos os cidadãos”, destacou o ministro. Rogério Marinho.

A ETE ocupa uma área de 27,7 alqueires, na confluência do rio Preto com o córrego São Pedro, na rodovia Délcio Custódio da Silva, quilômetro 4,5, vicinal que liga à Ipiguá. São 435,6 mil metros quadrados de área destinada ao reflorestamento, à proteção ambiental e aos tanques. Até o início deste ano, a ETE, trabalhava em três módulos e com capacidade para o atendimento de 450 mil pessoas.

Ainda durante a visita do ministro, o prefeito Edinho Araújo aproveitou para entregar uma apresentação do projeto executivo do Sistema Produtor Rio Grande ao ministro. Quando estiver em plena operação, o rio Grande poderá disponibilizar para São José do Rio Preto 3m3 de água por segundo, o suficiente para abastecer uma população de mais de um milhão de habitantes. Com um investimento de R$ 14,5 milhões, provenientes do Governo Federal, o projeto é da Estática Engenharia.

A obra tem um custo total de R$ 846 milhões, sendo R$ 773 milhões na primeira etapa, quando serão produzidos 1.500 l/s e R$ 72 milhões na segunda etapa, quando sistema terá capacidade de produzir R$ 3.000 l/s.

Vida Nova Rio Preto

Ao lado do ministro Rogério Marinho, o prefeito Edinho Araújo participou na tarde desta sexta-feira (7), do lançamento da pedra fundamental do empreendimento Vida Nova Rio Preto. Localizado na região norte da cidade, o residencial conta com área total de 750 mil m², sendo 160 mil m² de área verde e lazer onde serão plantadas aproximadamente 5.500 mil mudas de árvores.

No local serão construídas 565 casas de 2 dormitórios, sala, cozinha, área de serviço coberta e espaço para ampliação. Os compradores terão ainda a opção de casas adaptáveis. Os lotes mínimos são de 200m², e após concluídas, as residências serão comercializadas a partir de R$ 132.990,00, dentro das Faixas 1,5 e 2 do Programa Minha Casa Minha Vida.

O prefeito ressaltou a importância das ações da Prefeitura que viabilizaram a construção de novas moradias na cidade.

“A visita do ministro nos trouxe a oportunidade para mostrarmos os problemas e as dificuldades enfrentadas pela nossa região. Nosso desejo é que ele leve ao governante do nosso País, o presidente Jair Bolsonaro, nossa realidade e a vontade que temos de continuar crescendo e nos desenvolvendo”, comentou Edinho.

A pedra fundamental simboliza um marco na evolução da obra, que está na fase de terraplenagem. O Vida Nova Rio Preto vai contar com duas escolas municipais, infantil e fundamental e lotes comerciais para implantação de negócios locais como padaria, farmácia, minimercados entre outras atividades que permitirão o desenvolvimento do bairro com qualidade.

Serão investidos aproximadamente 76 milhões de reais que gerarão em torno de 1.450 empregos diretos e indiretos.

Deixe uma resposta