Trump emite ordem contra quem atentar contra os monumentos, e protege a Casa Branca

Trump emite ordem contra quem atentar contra os monumentos, e protege a Casa Branca
Networking Social

Trump emite ordem contra quem atentar contra os monumentos, e protege a Casa Branca

Na foto acima, manifestantes prendem uma corrente à estátua do presidente dos EUA, Andrew Jackson, no meio do parque Lafayette, em frente à Casa Branca, na tentativa de derrubá-la enquanto alguém joga um rolo de papel higiênico na estátua durante protestos de desigualdade racial em Washington, DC, EUA, 22 de junho de 2020

O presidente Donald Trump disse na terça-feira que vai emitir uma ordem executiva sobre os monumentos históricos dos EUA, como o movimento para remover memoriais que os ativistas consideram momentâneo para ganhos racistas, parte de protestos nacionais mais amplos contra a injustiça racial.

“Eles não estão derrubando nossos monumentos”, disse Trump a repórteres na Casa Branca. “Terei uma ordem executiva muito em breve e tudo o que realmente fará é reforçar o que já está lá, mas de uma maneira mais uniforme.”

Na terça-feira 23/06/20, Trump também anunciou uma autorização “efetiva imediatamente” para prender qualquer pessoa flagrada ferindo uma comemoração a um membro das forças armadas em terras federais e ameaçou usar a força contra manifestantes em Washington.

O governo federal, no entanto, tem o poder de prender ou multar qualquer pessoa que vandalize ou destrua um memorial por 17 anos sob a Lei dos Veteranos.

Na noite de segunda-feira, manifestantes tentaram derrubar uma estátua do ex-presidente Andrew Jackson perto da Casa Branca. Jackson escravizou os negros como proprietário de uma plantação e é lembrado pelo Trail of Tears, uma remoção forçada de nativos americanos do sul que matou milhares.

Trump disse a repórteres na terça-feira que “várias pessoas” estavam presas pela tentativa de estatueta de Jackson e o governo federal “está analisando sentenças de longo prazo”.

Muitas estátuas e monumentos visados ​​por multidões nas últimas semanas prestam homenagem à Confederação rebelde da Guerra Civil do país. Os críticos dizem que esses símbolos honram erroneamente aqueles que perpetuaram a escravidão. Os pedidos para derrubá-los seguem uma onda de protestos provocados pela morte de 25 de maio de George Floyd, um negro morto sob custódia da polícia.

Os manifestantes na segunda-feira também declararam uma Zona Autônoma da Casa Negra – referenciando uma área de Seattle conhecida como Zona de Protesto Organizado do Capitólio (CHOP) ou Zona Autônoma do Capitólio – perto da Casa Branca em frente à Igreja de São João, que tinha um pequeno porão fogo durante protestos anteriores.

Twitter postado pelo Presidente Donald J. Trump

Na terça-feira, Trump twittou “nunca haverá uma ‘Zona Autônoma’ em Washington, DC, desde que eu seja seu Presidente. Se tentarem, serão recebidos com muita força! ”

Deixe uma resposta